quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Entendendo as normatizações de Sala cofre e Sala segura - Parte 1

I-) Introdução

(link para leitura na publicação original 

http://www.arandanet.com.br/assets/revistas/rti/2019/fevereiro/index.php, p. 60.)

O mercado Brasileiro de Datacenters vem contratando de forma indiscriminada, soluções de datacenter formada por paredes corta fogo, como principal agente de segurança de instalações de TI.
Nas últimas décadas, ter uma célula com proteção corta fogo, tornou-se quase mandatório em instalações de datacenter públicos e privados.
Esta prática iniciou-se no país no inicio dos anos 90, e vem sendo amplamente aplicada em ambientes de TI indoor e nos últimos anos, tambem outdoor.
Como a arquitetura de TI vem evoluindo no decorrer dos anos para instalações mais compactas, porém de alta disponibilidade, as características construtivas ganharam bastante importância.
Apesar do valor que tem sido dado as características de proteção dos invólucros das salas de TI, lembramos que a disponibilidade de um datacenter está intrinsicamente ligada a arquitetura de alta disponibilidade das utilidades do Datacenter, tais como, ar condicionado, energia, cabling, incêndio, segurança e tec.
Existem normas brasileiras e internacionais que regulam os processos de ensaio e certificação de salas, paredes e portas corta fogo e neste artigo vamos aborda-las e explica-las de forma simplificada afim de desmitificar este mercado.
As principais normas que regulam estas soluções são a NBR 15.247:2004 (Unidades de Armazenagem segura – Salas Cofre e cofres para Hardware – Classificação e métodos de ensaio de resistência a fogo). Esta norma foi baseada na EN 1047-2:1999. A 
A NBR 10636:1989 vem sendo utilizada para regular o mercado do que se convencionou a chamar de sala segura. Esta norma NBR 10636:1989 (Paredes divisórias sem função estrutural – Determinação da resistência ao fogo). 
A NBR 10636, também se apoia nas normas NBR 5628 (Componentes Construtivos Estruturais – Determinação da resistência ao fogo – Método de Ensaio) e na NBR 6479 (Portas e vedações – Métodos de ensaio ao fogo - Método de ensaio).
Assim temos os 2 principais produtos comerciais que vamos abordar neste texto, que são as salas cofre e salas seguras.
O leitor irá perceber que em alguns momentos, estamos fazendo uma transcrição das normas, mas isto se fez necessário para o completo entendimento do processo de certificação e esclarecimento das características funcionais dos produtos e soluções.
Devido a quantidade de informação, este artigo será dividido em duas partes, sendo publicado em 2 edições consecutivas da revista RTI.
Espera-se que ao final da leitura deste artigo, o leitor tenha uma base de informação suficiente para decidir qual a solução que mais cabe a suas necessidades e consiga diferenciar as diversas soluções comerciais disponiveis no mercado.

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os seis erros mais comuns em projetos de pequenos e médios datacenters.

Prezados. Foi publicado na versão digital da revista RTI deste mês, um artigo mostrando os 6 erros mais comuns na construção de datacenter...